Quão sem compromisso é o sexo sem compromisso!?

Você, querida leitora, tem, já teve ou conhece uma amiga que tenha um P.A., mais conhecido como “pau amigo”? E você meu caro leitor, possui também alguma amizade colorida de anos? Quer você queira ou não, isso é mais comum do que você imagina.

Ao longo da vida vamos conhecendo várias pessoas diferentes e invariavelmente tendo algum interesse por elas, porém em muitos casos, esse interesse não chega a ser maior para iniciar um relacionamento afetivo. Mas e o sexo? O sexo vai bem obrigado. Há quem consiga separar perfeitamente a prática sexual do sentimento. E nem estou falando sobre pagar por isso. Por que não chamar alguém pra sair e matar aquela vontade de vez em quando sem compromisso? Não seria bom? O fato é que é bom sim, mas é bom mais pra uma pessoa do que pra outra. A triste verdade é que uma das duas partes acabará por se afeiçoar. É natural. Talvez isso aconteça no inicio ou depois de algum tempo, mas eventualmente, um dos dois se envolverá mais, cobrará mais e irá querer que isso mude ou continuará com isso até achar um outro alguém que “lhe dê mais valor”.

Minha fonte sobre tudo isso? Arial, tamanho 12. Mas o fato é que sexo casual é bom sim, desde que ambas as partes tenham plena noção do que estão fazendo e do que querem. Na maioria das vezes, a mulher pensa que pode mudar o homem e que um dia irá tê-lo por completo. Já o homem, normalmente nesse caso, é o amante de uma mulher (geralmente mais velha do que ele) e acaba por se apaixonar por aquela figura forte, porém compromissada. Esses dois casos são sim estereótipos velhos, mas não deixam de serem os mais comuns de que se tem notícia.

Em 2011 foi lançada a comédia romântica “Sexo sem Compromisso” com a dupla Natalie Portman e Ashton Kutcher. O filme fala sobre dois amigos que um dia vão para cama e depois resolvem continuar apenas com aquilo, sem mais nenhum envolvimento amoroso. Não vou falar muito para não dar spoilers, caso tenha interesse em ver um dia. Fica a sugestão para uma tarde sem nada para fazer.

Mas e as pessoas que conhecemos por meio de aplicativos como Tinder, Badoo, Happn ou outros sites tipo POF ou PP? O match acontece, papo vai papo vem, a pessoa é interessante, mas demonstra que não quer nada além do sexo. Se você estiver afim, por que não? Só é bom lembrar daquilo que já falei no início deste post. É bem ruim nutrir um sentimento com alguém que está interessada apenas no que você tem a oferecer entre quatro paredes e ao finalmente tomar coragem para dizer que quer algo a mais, ser rejeitado e tudo aquilo acabar.

Resumindo, se você possui alguém com quem mantenha uma relação de sexo sem compromisso, cuidado com o que você fala e faz fora da cama. Ou preste atenção no que seu parceiro diz ou faz também. Mesmo nesse tipo de relação, a base para tudo ir bem é um bom diálogo. Colocar todas as cartas na mesa é extremamente importante para nenhum dos dois sair machucado no final.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *