A Festa


Olá galera, me chamo Fábio, tenho 26 anos, estatura média, corpo em forma, moreno, olhos castanhos, cabelo curto e vou contar para vocês o que aconteceu comigo quando fui numa festa a convite de um amigo. Pois bem, antes de ir, tudo que sabia era que ele e uns amigos dele (dos quais eu só conhecia de nome) resolveram juntar um povo e fazer uma festa atoa no salão de festas do apartamento de um deles. Chegamos cedo e começamos a dar uma organizada nas coisas, preparar o som, verificar os freezers, essas coisas. Lá tinha uma piscina, mas ninguém iria aproveitá-la naquele dia. Pelo menos assim eu imaginava.

A medida que o tempo passava as pessoas começavam a chegar e já estávamos no pique de ir tomando umas e beliscando alguns petiscos.

O problema desse “junta junta” com os amigos é que geralmente só da homem, mas por algum milagre apareceram muitas garotas. Para minha surpresa, entre elas estava uma garota que eu conhecia chamada Mariana. Já tínhamos ficado algumas vezes anos atrás, porém não chegamos a fazer nada e acabamos perdendo contato. Fui até ela puxar papo e conversamos bastante entre um copo e outro, até que a noite chegou e já estávamos começando a ficar íntimos novamente. Tão discretos quanto podíamos tentar ser no meio de todo aquele povo, puxei-a comigo para um lugar mais afastado e escuro e começamos a nos beijar. Encostei-a contra a parede e em meio a meus beijos, posicionei minha perna entre as dela e ouvi sua respiração se acentuar um pouco quando comecei a beijar seu pescoço. Aquela pele branquinha e cheirosa me despertou um tesão enorme. Acredito que nela também, pois ela me puxou para mais perto dela, fazendo com que meu membro roçasse duro sob a calça em sua perna.

Ouvimos um barulho mais próximo e tentamos disfarçar o que estávamos fazendo. Era óbvio que ali não teríamos privacidade alguma, nem tampouco eu tinha intimidade o suficiente para pedir para ir com ela na casa do dono do apartamento. Aliás, eu nem conhecia direito o dono… rsrs. Foi então que sugeri a ela sairmos dali para irmos até algum motel ou na pior das hipóteses, ficarmos em meu carro mesmo. Para meu descontentamento na hora ela disse que não poderia, pois estava com uma amiga e logo daria a hora delas irem embora. Insisti novamente para que eu a levasse, mas ela negou de novo. Olhei para um lado e para outro em busca de um lugar melhor do que o que estávamos e vi o que parecia ser uma descida para a garagem do prédio. Peguei nas mãos dela e a levei comigo lá para baixo. Sua cara de safada me fez ficar duro num instante novamente. Achei um interruptor de energia e desliguei uma das luzes. De repente ela se ajoelhou, abaixou minhas calças e começou a me chupar. E que boca deliciosa… ela sugava com vontade, hora me masturbava, hora passava somente a língua por todo meu pau e acariciava minhas bolas. Ela sabia o que estava fazendo e eu estava adorando. Como se tivesse lido meus pensamentos, pegou minha mão e emaranhou-a em seu cabelo para que eu controlasse o ritmo da chupada. Estava tão gostoso que senti que não iria demorar muito para gozar. Foi então que ela pegou em minha mão para poder afastar sua cabeça, olhou para mim e perguntou se eu tinha uma camisinha. Respondi que tinha uma na carteira e logo ela se levantou, abaixou sua calça e calcinha e empinou aquele rabo pra mim, fazendo aquela mesma cara de safada.

Coloquei a camisinha o mais rápido que pude e assim que comecei a deslizar meu pau para dentro daquela xaninha ensopada, pude ouvir baixinho um gemido delicioso. Fui tirando devagar e novamente penetrei com calma e ouvi um novo gemido. Logo comecei a bombar mais forte enquanto ela também se movia para eu ir mais fundo. Agarrei firme sua bunda e a cada gemido dela eu me excitava ainda mais. De repente ouvimos um barulho de carro e tivemos que nos abaixar às pressas para não sermos vistos. Cochichei baixo no ouvido dela que não tinha hora pior para essa pessoa chegar, pois estava quase gozando. Ela então tirou a camisinha e voltou a me chupar ali mesmo no chão. Naquele misto de prazer e receio de nos pegarem no flagra, eu tive uma das melhores gozadas da minha vida. Eu cheguei a avisá-la que iria gozar, mas ela quis engolir.

Nos vestimos depois e voltamos para a festa. Pouco tempo depois ela foi embora e eu fiquei. Acabei começando a conversar com outra garota, mas essa já é outra história.

Posts relacionados

Comentários


Quem escreve:

Criador e dono do Sexcetera, consultor de assuntos aleatórios, amante de jogos em geral e escritor nas horas vagas!

Habilitar redes Sociais
Desabilitar redes Sociais